One Piece RPG
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» As Raízes do Vigilante Lucífugo
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor John Knudarr Hoje à(s) 03:34

» The Lost Boy
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Handa Hoje à(s) 02:59

» Escuridão total sem estrelas
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Handa Hoje à(s) 02:38

» Fim de Jogo
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Wander Hoje à(s) 02:31

» 10º Capítulo - Parabellum!
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor OverLord Hoje à(s) 00:44

» O Sapo Mágico
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor CaraxDD Hoje à(s) 00:42

» Escaping Mean! Run Ria, Run!
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Milabbh Hoje à(s) 00:42

» Cap 3: O alvorecer da névoa trovejante
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Akuma Nikaido Hoje à(s) 00:09

» Al mare!
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor John Knudarr Ontem à(s) 23:59

» [LB] O Florescer de Utopia III
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Kekzy Ontem à(s) 23:26

» The Claw
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Achiles Ontem à(s) 23:09

» The One Above All
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Achiles Ontem à(s) 22:13

» VI - Seek & Destroy
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor GM.Alipheese Ontem à(s) 22:08

» Apresentação
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Blum Ontem à(s) 21:29

» Kuze Kyoji
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Kyoji Ontem à(s) 21:15

» Gregory Ross
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Wander Ontem à(s) 20:48

» Unidos por um propósito menor
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Oni Ontem à(s) 19:58

» Drake Fateburn
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 19:43

» II - Aliados
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Hunson Ontem à(s) 19:26

» Hey Ya!
Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Emptypor Kiomaro Ontem à(s) 18:42



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Capítulo I - Surgem os Eternos!

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 53
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptySex 07 Fev 2020, 22:33

Relembrando a primeira mensagem :

Capítulo I - Surgem os Eternos!

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) civis Marte, Ishin Murasaki e Ryuzaki Loster. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ficha | Aventura

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: Regras | Mudanças Importantes | Crie seu Personagem | Mini-Aventuras
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
yaTTo
Soldado
Soldado


Data de inscrição : 07/11/2010

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptyQui 16 Abr 2020, 18:38

Capítulo I - Surgem os Eternos!
Dia de inverno
Malkiham - Clima Frio


Florestas de Malkiham – 11:40


Stuart engolia em seco com as perguntas do gigante, ele realmente desejava encontrar seu pai, mas ele mesmo meio que sabia que se fosse a cidade conseguiria a resposta que desejava. Os selvagens poderiam estar envolvidos no desaparecimento, mas não seriam eles o problema principal de tudo aquilo. – Não... Acho que posso lidar com isso eu mesmo, não posso empurrar esse problema para você. – Ele falava com um sorriso no rosto. – Me deixe apenas ajeitar algumas coisas e logo partimos. – Ele entrava dentro da residência, ficava um ou dois minutos lá dentro e logo retornava – Certo, estou pronto, vamos! – Ele seguia na frente abrindo caminho para o gigante que não conhecia sobre a região. A realidade é que desde que seu pai tinha desaparecido Stuart não tinha saído daquela casa, ele tinha um medo tão grande dos selvagens que simplesmente impossibilitava o garoto de sair de sua residência, porem, depois de ter visto o gigante Marte em ação, meio que a chama que ardia porcamente em seu peito começava a queimar novamente, ele estava motivado. – Cuidado com a cabeça. – Ele alertava apontando para cima com seu dedo indicador direito, a copa das arvores eram altas, mas nada era muito alto que não fosse muito baixo para um gigante. Ar arvores não tinham muitas folhas, eram a maioria mais gravetos, porem mesmo pequenos gravetos poderiam incomodar a cabeça de alguém tão grande.

Eles andavam por algum tempo, caminhavam por uma trilha que o gigante não tinha a mínima noção de que existia, apenas os olhos treinados do jovem guerreiro conseguia enxergar em meio a toda aquela neve – Então... Marte, certo? – Ele confirmava o nome do ruivo – Você obviamente não é desta ilha, alguém tão grande assim as pessoas teriam comentado... – Ele fazia uma pequena brincadeira enquanto retirava um sorriso que parecia estar escondido fazia algum tempo – Porque não me conta uma historia? Uma boa historia do local de onde veio. – Ele virava seu rosto encarando o gigante no rosto – Nosso pai contava historias para a gente, ele também não é originário desta ilha como pode perceber, vivemos meio que no nada. – Ele falava aquilo com um tom meio preocupado em sua voz – Se sua historia for boa o suficiente posso lhe dar um presente especial, o que acha? Não é um ótimo negocio? – Ele terminava andando de costas para o caminho ficando de frente, o máximo possível, para um ser que fazia uma sombra equivalente a própria casa do pequeno aventureiro.



Cidade de Terrescura – 11:40

O homem olhava com admiração pela atitude da garota em aceitar o cigarro, ele tinha oferecido mais por educação do que realmente com intenção, a realidade é que foi basicamente no automático aquela ação. – Não é tão fria... mas ainda é bastante fria... – Ele terminava sua explicação com seu próprio cigarro na boca fazendo com que sua voz saísse em um tom diferente do normal. – Incomodado? Bem... talvez, não é que esteja, mas também não esteja... é complicado. – Ele procurava palavras para descrever o que estava sentindo, mas no final apenas deixava toda aquela situação mais complicada. – Um mundo onde não há brigas? Não há lugar assim nesta era hahaha – Ele gargalhava por alguns segundos ao ouvir as palavras da jovem – Acho que você entendeu errado, brigas, conflitos, existem, mas não é por isso que Santoria seja um lugar perigoso, afinal, um de meus trabalhos é deixar menos perigoso. – Ele terminava de falar dando uma tragada de seu cigarro e logo em seguida liberava a fumaça sem tirar o cigarro da boca, apenas abria um pouco a mesma na lateral. – E não é como se Heartstone fosse perfeito, ele é um bom homem, mas não é nem de longe Deus. Ele sabe de suas limitações assim como a gente... – Ele retirava o cigarro da boca, dava dois toques no mesmo fazendo cair um pouco do mesmo que já tinha sido consumido pela chama e colocava novamente na boca – Por isso que nosso trabalho é deixar o trabalho dele um pouco mais fácil. – Falava aquilo olhando para o nada, ou melhor, ele olhava para um local, mas era evidente que para onde ele estava olhando não existia nada de interessante, estava simplesmente perdido em seus pensamentos.

Logo o tempo ia passando e simplesmente a carroça para Santoria estava demorando, demorando até demais. – Não gosto disso... – O homem falava baixinho vendo que o horário da carroça parecia demorar mais que o esperado. Ele suspirava e quando levantava-se de onde estava sentado por alguns segundos ele conseguia ver, finalmente a carroça aparecia, ele era comum qualquer outra que tinha aparecido naquele tempo, sua única diferença era o nome que ficava exibido na lateral da mesma que dizia exatamente para onde ela estava indo, assim como o condutor que gritava – Carroça para Santoria! Quem quiser ir para Santoria venha comigo! – finalmente o transporte tinha chegado para o local onde a angelical gostaria de ir, afinal, tinha estado tempo demais naquele local.

Para ryuzaki o conhecimento adquirido no local abandonado lhe era bastante util, ele questionava-se se sua visita ali no passado poderia ter feito algo pelo local, não era como se ele tivesse sido realmente de alguma ajuda para o ambiente enquanto ele estava abandonado, porem, isso era realmente coisa do passado. O caprino tinha que seguir em frente e para o norte ele iria, de um jeito ou de outro. Ele caminhava por algum tempo, começava a ver que o sol parecia começar a ficar bem ao topo, demonstrando pelas explicações de Liz que o dia estava quase chegando a seu meio dia. Mesmo que a ilha fosse uma verdadeira geladeira, mesmo ao meio dia as coisas davam uma pequena esquentada, nada muito forte e tampouco muito perceptível, mas era notavel gradativamente que as coisas não estavam mais assim tão geladas quando começaram logo de manhã. O caprino seguia rumo ao desconhecido e norte era a direção para onde ele iria seguir, não era nada muito sofisticado e tampouco poético, mas ele precisava dar um rumo em sua vida e se esse rumo fosse ao norte ao norte ele iria.

Depois de caminhar por algum tempo ele começava a chegar em uma região onde se concentrava uma massa maior de pessoas, era o que parecia ser o centro da cidade, mas quanto mais ao norte ele seguia mais perto do ponto das carroças ele chegava. – Você soube meu velho? Os selvagens estão mais agitados... – Ele conseguia escutar uma conversa paralela enquanto passava pelas pessoas. – Porque eles ainda não foram caçados pelos copas? Isso não é trabalho dele? – Outra pessoa respondia a aquela afirmação enquanto parecia manter um tom rabugento em suas palavras. Se ele quisesse saber daquilo, era uma dupla de idosas. Logo ao chegar no ponto das carroças ele conseguia ouvir que a próxima carroça que iria sair era em direção A santoria, o homem gritava como se estivesse para partir em alguns momentos, se ele desejava ir a um local sem qualquer tipo de pretensão para onde e quando, talvez fosse a melhor opção, pegar a primeira que iria sair, afinal, se não tinha local nem tempo para ir qualquer lugar era bom o suficiente.

A carroça era simples, carregada por dois bovinos era um tipo de transporte simples que simplesmente carregava uma espécie de carroça que tinha um teto, uma pequena escada que dava entrada por trás e dentro dois bancos largos, um na esquerda, outro na direita que cabia ao total umas dez pessoas sentadas confortavelmente. Ela tinha uma aparecia de ser construida de madeira com seu teto feito com feto amarelo que era encontrado em fazendas, mesmo que as pessoas não conseguissem ver com facilidade aquele tipo de coisa pela cidade. Logo as pessoas começavam a entrar na carroça, não eram muitas, a ponto de lotar, mas também não eram poucas a ponto de deixar a mesma vazia, seria uma viagem curta pelo que tinha escutado de algum transeunte que parecia mais animado.

Cidade de Santoria – 11:40

Já em Santoria um ser com uma aparecia redonda andava pela cidade, ele com certeza poderia se destacar das demais pessoas devido sua aparencia roliça. Não que fosse tão incomum ver pessoas gordas rondando pela cidade de Santoria, mas era difícil do mesmo jeito, visto que a maioria não tinha lá muito dinheiro para comprar grandes banquetes para o dia a dia, com exceção dos caçadores de recompensa, esse tinham conseguido lucro através de suas empreitadas em busca de fama, gloria e dinheiro, esses praticamente nadavam em dinheiro. Porem o que mais chamava a atenção era o tamanho exacerbado daquele ser, não apenas era gordo como era grande o suficiente para chamar atenção das pessoas que andavam pelo local. Seu primeiro objetivo era conseguir alguma alimentação, não seria difícil, mesmo que as pessoas não tivessem muito dinheiro, ainda existia aqueles locais onde se poderia encontrar todo tipo de alimentação normal, as pessoas tinham que comer, de um jeito ou de outro. – Maçãs? É.. claro... – Um vendedor de esquina respondia o gigante, era difícil imaginar que aquele ser estava falando com ele, além do que, como iria vender maçãs para aquela pessoa? Venderia no Quilo? No barril? Era difícil imaginar como iria fazer aquilo, porem ele recolhia algumas maçãs e colocava dentro deu ma sacola que entregava para o gigante.

Logo com suas maçãs e em um local completamente novo para si ele se encontrava no que parecia ser o centro da cidade, um local onde existia uma variedade grande de pessoas, que andavam por todo o lado, porem, quem passavam perto do gigante ele parecia ser o centro das atenções, alguns achavam ele meio diferente e apenas isso, outros já pareciam ter um certo receio, medo do mesmo, afinal, pessoas que vinham de fora poderiam trazer problemas a cidade e se aquele gigante fosse trazer algum problema, seria um problema dos grandes. – Posso saber seu nome? – Um homem chegava próximo do gigante, ele tinha vestimentas negras que se assemelhavam a uma túnica religiosa, tinha uma cruz branca em seu peito assim como em seu pescoço. Seus cabelos loiros curtos mas pontiagudos para cima junto com suas sobrancelha arqueada para cima dava um tom agressivo para ele, mesmo que não aparentasse em suas palavras. – O que faz aqui, gigante, por acaso se perdeu? – Ele continuava a falar sem dar muito tempo de resposta para o mesmo – Não é comum sua raça por aqui, então, se me permite, porque não me acompanha? – Ele falava aquilo com um sorriso no rosto.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ripper
Membro
Membro
Ripper

Créditos : 3
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 14/01/2018

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptySab 18 Abr 2020, 00:12


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Sobre o Norte...
Post - 11





Não era possível dizer que satisfação era o que eu encontrava no rosto do pequeno. Assim, eu tinha certeza que havia passado a segurança necessária para que ele confiasse em mim para ajuda-lo, não me restava muito que fazer. Afinal, um dos princípios da vida é querer ser ajudado. De qualquer forma, ele rapidamente juntava suas coisas e, novamente, se colocava a disposição para me guiar pela floresta, sem entender muito, pensei que no final daquela jornada poderia estar o objetivo do meu novo amigo.

Sem esforço, Stuart guiava-me por um caminho enquanto parecia preocupar-se mais com um galho atingindo minha cabeça do que em se concentrar afim de não perder-se. Aquelas árvores pareciam ter sido feitas para buscar meus olhos, só a mãe natureza poderia aplicar um golpe tão fugaz contra mim, o Marte. HAHAHA! Enfim, quando me cansei de desviar abaixando ou movendo lateralmente a cabeça, comecei a quebrar os galhos usando hora meu antebraço, hora o tronco de madeira que carregava, ficar movimentando-se como um lutador de mãos nuas era um tanto quanto... chato.

Em contrapartida, o que me empolgara era o pequeno buscar saber mais sobre o verdadeiro Norte, poucas coisas neste mundo poderiam me dar mais prazer que falar sobre o meu povo e a minha terra natal. Pode me chamar de:
Sr. Saudosismo. HAHAHAHAHA!

— Não... não mesmo, pequeno. Donde vim, és contado por nossos anciões que somos nascidos no lugar mais frio e mais ao Norte de todos os oceanos, estes, que só sabíamos ser líquidos através de fábulas contadas a nós desde a mais terna idade. — estufava o peito, como por orgulho do local que havia vindo — Mais ao Sul de nossas terras, existe uma enorme muralha, tão alta quanto o próprio céu, que apenas através do próprio punho alguém poderia ultrapassar, fora assim que o fiz, pequeno, pois não há outra forma de sair do Norte que não seja por essa maneira. — entre uma palavra e outra, continuava quebrando os galhos que ousavam se por em meu caminho — Mas esperava encontrar a tal Ilha de Minion, que era dito nas histórias antigas, mas como dissestes mais cedo, agora estou em Malkiham, não é? Pois bem, ou tu me enganastes ou os anciões não eram assim tão sábios, HAHAHAHA! De qualquer forma, vocês do sul são deveras abençoados pelas terras quentes que possuem, no Norte, nós vivemos em forma de compartilhamento total, não existe alguém que tenha mais ou menos que o outro e consumimos o que produzimos e produzimos o que consumimos! Só assim para sobreviver em um local tão frio! HAHAHAHA! — coçava a barba entre uma palavra e outra, como um ritual que ajudava a lembrar de minha terra — Por lá, o maior sonho é justamente este, ultrapassar a muralha para conhecer este mundo que nos era contado. Também, no Norte, nós somos ensinados desde cedo a usar as próprias mãos para a defesa, no meu caso, a espada — olhava para o tronco de forma contrariada — que está sendo bem substituída por este tronco que me arrumaste! Desta mesma forma, fora me contado por minha mãe que, enquanto ela decidira voltar para o Norte, na época que ficara grávida de mim, o último Rei dos Piratas havia morrido, de forma gloriosa e a era dos piratas havia começado! HAHAHAHA! — naquele momento, eu não podia conter o sorriso no rosto, impulsionado pela excitação — E é por isso que estou aqui Stuart, esta é a primeira ilha da minha jornada para ser o próximo Rei dos Piratas! HAHAHA! — acabando a história, uma última coisa me vinha a cabeça — E tu não precisas dar-me nenhum presente! O presente mais especial é tua ajuda juntamente com tua amizade! HAHAHAHA!

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Por fim, continuaria seguindo meu novo amigo até onde fosse necessário.







Objetivos:
 

Dados do Marte:
 






____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ficha no banner


Última edição por Ripper em Sab 18 Abr 2020, 21:32, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alê
Narrador
Narrador
Alê

Créditos : 2
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 21
Localização : Farol - Grand Line

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptySab 18 Abr 2020, 21:06


SURGEM OS ETERNOS!
Post: 06  |  Localização: Terrescura - Malkiham island  |  Clima: Frio


Capítulo VI: Desconfiança

Anne ~ #ff99cc
Shauta ~ #ff0033
Kallista ~ #990099
Euphemia ~ #3366cc
Lilli ~ #00cc99


Então esse tal de Hearthstone não era tão endeusado quanto a ilha. De fato, era impossível, por isso havia me surpreendido pela maneira que aquele frade, talvez, havia falado. Euphemia me confirmava, acenando com a cabeça positivamente que a nomenclatura de frade podia ser usada, porém, isso não me importava neste momento. A carruagem enfim chegava e vendo a maneira que o sujeito bradava sua chegada, de fato não tinha que ficar preocupada de perde-la.

— Acho que nossa embarcação chegou! — afirmei para Euphemia e Kallista. — Vamos!

Caminhando em direção a carroça, talvez esse fosse o nome, eu reparava que Euphemia estava pensativa. A sirena sempre foi bem animada em conhecer novos lugares. Acredito que ela compartilha de meu amor pela história, nesse ponto é incrível como nossos gostos são bem parecidos, posso dizer que é idêntico.

— O que houve Euphe? Está incomodada com algo?

Vendo o aparente incomodo da pequena, quis saber o que havia acontecido com a garota. Tentava falar num tom mais baixo para que ela se sentisse mais à vontade. Dialogar com as meninas era algo que me deixava a vontade, eram exceções no meu claro incomodo em me relacionar com outras pessoas. Segundo Shauta, eu era boba em me sentir assim. Segundo ela: “uma guerreira de guerras não pode se sentir intimidada em conversar com outros guerreiros”. Besteira!

— Não é nada demais. Realmente estou animada em conhecer outros lugares. Santoria me parece se rum ótimo lugar! — falou ela, porém, notava que ela não estava tão animada quanto tentava demonstrar.

— Eu te conheço Euphemia. O que está acontecendo?

— É que não faz sentido. Em todos os meus estudos eu não consigo imaginar alguém que trabalhe num santuário estar assim...

Demonstrando o real descontentamento, a sirena indicava com seus braços em direção ao homem que havia falado comigo anteriormente. Nesse ponto eu concordava com ela. Essa observação realmente me incomodava.

— Eu entendo seu descontentamento, mas vamos seguir ok? Temos que entrar! — calmamente falaria.

— De santo esse humano não tem nada! — afirmou Kallista, saltando em direção a carroça.

A alada visava ficar na parte de cima do transporte. Com cuidado entraria na embarcação, seguindo o homem. O nosso destino era Santoria. Respirando mais tranquila por enfim não ter perdido a carroça, agora só tinha de esperar chegar no local que almejava.

— Eu... — minha garganta trava de tal maneira que proferir qualquer palavra estava difícil. — Eu não sei seu nome, senhor. Me chamo...

— Não faça isso! Não faça isso! Não... — alertando incomodada, Kallista tentava me impedir.

— ... Me chamo Anastrianna. Muito prazer! — concluí, demonstrando minha insatisfação da intromissão da alada em minha conversa. — Não vejo a hora chegar na cidade logo!

Toda essa precaução de Kallista me incomodava as vezes. Nesse momento, não podia perder a disputa de enfrentamento com a mesma. Era comum que a demônio ficasse me encarando quando estava incomodada com algo, porém, com o tempo, havia aprendido que abaixar minha cabeça era um erro. Emburrada encararia a alada do mesmo jeito.

— Senhor-san! Já que mencionou... — tentando lembrar-me da maneira que ele havia falado. — No caso em Santoria tem brigas, guerras e presos? Como uma ilha normal? Da maneira que falou pensei que não havia nada...

Apoiando minha mão canhota em meu queixo, pensaria a respeito das minhas palavras e de fato essa crença errada, ao mesmo tempo, esperava suas respostas aos meus questionamentos.

— O senhor é um padre? — questionaria. — Pela maneira que fala, tão calma da paz que encontra na ilha, me transmitiu essa sensação...


Considerações: nenhuma.




Objetivos:
- Aprender Ciências Proibidas
- Aprender Acrobacias
- Aderir Ofício Arqueólogo
- Encontrar NPC Acompanhante
- Adquirir um Machado de duas Mãos
- Adquirir duas machadinhas (1/2)
- Adquirir um martelo de duas mãos
- Conhecer a História da Ilha (Em andamento)
- Conhecer a Primeira Igreja Cristã de Santória
- Conhecer o Alto-Sacerdote Changos
- Conhecer o Padre Benko Santória
- Adquirir duas machadinhas
- Adquirir um martelo de duas mãos
- Conhecer a História da Ilha
- Conhecer a Primeira Igreja Cristã de Santória
- Conhecer o Alto-Sacerdote Changos
- Conhecer o Padre Benko Santória

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Ficha | Aventura


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Revescream
Civil
Civil
Revescream

Créditos : 4
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 09/10/2019
Localização : Desconhecida

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptySab 18 Abr 2020, 21:52


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
UM NOVO INÍCIO
Post - 11º

Frustrado, assim sentia Ryuzaki, seguindo seu caminho em direção ao Norte da cidade enquanto refletia sobre suas ações posteriores. Uma leve sensação de calor aumentava a medida que o tempo progredia, embora pouco perceptível em uma região como Terrescuna, isso era comprovado quando o caprino olhava para a posição do sol e entendia que estava perto para o meio-dia. "Parece tão natural... Observando desse perspectiva." Os ensinamentos de Liz pareciam mostrar o seu valor, talvez tivesse encontrado mais uma peça para seu tabuleiro, ela não era forte como um cavalo, mas tinha sua importância.

Após uma caminhada sem precedentes o caprino notava uma estranha aglomeração em um dos pontos ali existentes. Continuava seus passos, olhando os arredores para entender aonde se encontrava, seguindo com seu ritmo até onde uma segunda concentração de pessoas se formava. "O que está acontecendo aqui?" Encarava com uma sobrancelha erguida, mas sua atenção era perdida quando ouvia alguns comentários "curiosos" um pouco mais longe dali. "Selvagens? Caçadores de Copas?" Perguntava-se consigo mesmo, repetindo as mesmas palavras que ouvia da dupla de idosos. "Tanto faz! Eu não tenho mais tempo a perder aqui, quanto mais rápido eu sair de Terrescuna mais rápido poderei dar início a essa jornada." Estava convencido de sua atitude, não poderia desviar de seu objetivo atual, por mais que não tivesse um objetivo definido. Todavia, a forma que os velhos tratavam o assunto chamava parcialmente a curiosidade de Loster, talvez pela sua peculiaridade? Fato seria que o próprio não se impediria de continuar a ouvir a conversa dos terceiros deixando-se ao luxo de compreender mais sobre aquele tema em específico.

Adjacente àquele tempo outra voz um pouco mais distante era escutada em seguida, ao se virar a procura da origem Ryuzaki observava uma grande carroça aproximando-se de onde estava e aparentemente anunciando seu eventual destino. "Vejo que terei uma carona." Fitava o transporte chegando cada vez mais perto, seus olhos fixavam-se aos bovinos que puxavam a carroça com suas próprias costas, cena essa que deixava-o incrédulo. "Vocês animais deveriam deixar de ser tão burros!" Não demorava mais que alguns segundos para a carroça finalmente chegar ao ponto, dando vez para que Ryuzaki adentra-se em seu interior e acomoda-se ao fundo dos assentos. Seguiria sua viajem calado, aproveitando o tempo para analisar melhor os livros que tivera pego anteriormente - verificando de quais assuntos os mesmos abordavam - fingindo estar distraído com os objetos para que ninguém de pouca relevância viesse o incomodar.

Entretanto, nada impedia que o atirador aproveitasse o tempo para ler um de seus livros. Mesmo que sua viajem não demandasse muito tempo seria uma forma alternativa para aprender alguma, na pior das hipóteses, mínima noção sobre o assunto, permitindo-se entreter com aquele conhecimento que ainda não tinha parado para absorver antes.

« HP: 44/44 | SP: 62/62 | Berries: 20.000 | Lv1/XP: 10/25 »


Legenda:
 
Personagem:
 
Objetivos:
 

Considerações:
 



Voltar ao Topo Ir em baixo
Faktor
Civil
Civil
Faktor

Créditos : 10
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 04/01/2019

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptyDom 19 Abr 2020, 00:53


Capítulo I - Surgem os Eternos
Groomer #02

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Depois de fazer todo o caminho até a loja e comprar minhas maças, estaria agora em meio a rua com minhas maçãs em mãos, pegaria uma da sacola e a levaria a minha boca, comendo a mesma em pouco tempo. Minha fome não era totalmente saciada, porém daria pra passar o tempo, o importante agora seria encontrar algo pra fazer... será que estava esquecendo alguma coisa..?

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Parado no meio das ruas de Santaria, pelo grande número de pessoas trafegando pelo local, poderia perceber que muitas pessoas passavam e olhavam para mim, talvez eles não estavam acostumados e ver Gigantes. ~ Será que é por causa do meu tamanho? Ou talvez... eles estão com medo de mim? Eu não fiz nada... Ah... Deixa eles pra lá. ~

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Meus pensamentos se sessavam quando percebia um homem se aproximava, vestia roupas que se assemelhavam a uma túnica negra religiosa, estava me perguntando meu nome. - Ah, olá, me chamo Groomer... - Ele seguia falando sem dar muito tempo para mim responder, o que me fazia parar o começo de minha fala, e então, quando ele terminava suas últimas falas, responderia a todas. - Eu moro aqui... Minha raça, quer dizer outros gigantes? Eu só conhecia meus pais de Gigantes... Eu teria que te acompanhar para onde? Vai ter comida? Bom, não tenho nada pra fazer mesmo, se tiver comida vai se melhor ainda. -

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Após ter uma breve conversa com aquele homem, ficava curioso para saber até onde iríamos, mesmo tendo acabado de comer, mais comida seria ainda melhor... e se fossemos para um restaurante?! Só de pensar me da água na boca...





Extra



Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________

Capítulo I - Surgem os Eternos!

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
yaTTo
Soldado
Soldado
yaTTo

Créditos : Zero
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 22

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptyTer 21 Abr 2020, 19:29

Capítulo I - Surgem os Eternos!
Dia de inverno
Malkiham - Clima Frio


Florestas de Malkiham – 13:00


O gigante ruivo continuava o caminho com seu novo companheiro enquanto lentamente caminhavam pela floresta de Malkiham. Ele tinha certa habilidade com as palavras deixando com que o jovem Stuart ficasse interessado em tudo aquilo por algum tempo. – Entendo... vivemos em realidades bem diferentes então. – Ele falava quando analisava um pouco a historia de onde tinha vindo o homenzarrão. – Pois bem, já que contou uma historia interessante, me deixe contar uma também. – Eles continuavam seu caminho enquanto passavam por diversos tipos de ambiente, mesmo que ainda contaminados por toda aquela neve. Conseguiam ver riachos que iam de um lado para o outro, alguns pássaros que voavam para longe ao serem confrontadas pelo balançar das arvores que fazia o gigante ao se mover. No mais tudo era exatamente como esperado de uma floresta, alguns barulhos estranhos pareciam chamar um pouco a atenção de ambos, mas Stuart resolvia apenas ignorar, esse tipo de coisa era normal na floresta e ficar ligado muito a isso seria um problema caso quisesse continuar em sua jornada em direção ao objetivo principal. – Pois bem... como devo começar isso... – Ele procurava palavras para iniciar sua historia mas achava elas dificeis de achar em sua mente. – Meu pai, era um homem procurado. – Sua voz parecia um pouco mais seria nesse momento. – Não que ele tenha falado nenhuma vez sobre isso para comigo e meu irmão, mas a gente apenas sabe... entende? – Ele esperava que o gigante tivesse entendido aquela expressão, mesmo que fosse um pouco confusa – Sei que ele fez coisas ruins no passado, achamos um antigo diário e o que parecia ser adagas velhas. Não acho que ele leva essa vida ainda nos dias de hoje... porem as pessoas não podem simplesmente esquecer esse tipo de coisa... – Sem virar seu rosto Stuart continuava a andar pela vegetação, dando pequenos saltos sobre raízes mais fortes e ultrapassando pequenas linhas de água sem molhar suas botas.

Tenho medo que o passado no fim tenha vindo cobrar sua divida para com ele... se esse for o caso não sei o que fazer. – Seus punhos cerrados tremiam um pouco. – Por mim tanto faz, me preocupo com meu irmão. Mesmo ele sabendo de tudo isso não é como se fosse facil dizer para ele “Nosso pai foi morto por ser um pirata”. – Ele engolia em seco quando falava aquilo – Mesmo tendo esperanças que não foi isso que aconteceu, meio que já estou aceitando esse destino... – Ele parava por um segundo de caminhar enquanto mantinha-se ereto olhando para frente – O que acha de tudo isso grandão? Como você fez em sua historia, será que devo quebrar esse passado com meus punhos e ir em direção a um novo futuro? – Ele perguntava aquilo esperando uma resposta do gigante enquanto permanecia parado em sua posição. Com tudo aquilo acontecendo era possível a dupla, ou melhor, o gigante, caso estivesse mais atento escutar algo que se parecia com o barulho de patas andando vagarosamente mais ao leste de onde ele estava. Não era nada característico de um animal selvagem, parecia mais algo que mantinha certo ritmo e não muito distante de onde estavam. Caso estivesse ainda mais atento poderia também ver que algumas sombras mais distantes, mas nesse caso ao norte, estavam se movimentando rapidamente por entre as arvores ao fundo. Não era perto o suficiente para ele identificar o que eram tais sombras e menos ainda para ele saber se tais coisas tinham o identificado ao longe. Porem pareciam ir em direção ao barulho que ele tinha ouvido anteriormente, a oeste de sua posição.

Carroça – 13:00

- Annastrianna? Muito prazer. Pode me chamar de Klein Bravuti. – O homem respondia a introdução da celestial enquanto fazia uma pequena reverencia de cabeça. Ele continuava seu caminho até subir na carroça e entrar em conjunto com a jovem. – Com licença... hunf – demonstrava um pouco de dificuldade ao subir. Apesar de ter uma aparencia jovem não era como se ele já fosse tão novo assim. – Minhas costas... – Ele reclamava ao se sentar em um local enquanto colocava a mão direita no local onde sentia dor. – Um padre? Não... não sou um padre. – Ele falava com um sorriso no rosto enquanto abria um sorriso baforando novamente um pouco da fumaça que vinha de seu cigarro. – Mas acho que pareço um certo? Com essas roupas... – Ele terminava seu sorriso enquanto olhava para si mesmo e com sua mão esquerda puxava um pouco de sua vestimenta para dar ênfase a suas palavras. – Guerras não... brigas? Mais do que gostaria que existissem. Presos? Bastante o suficiente para me deixar com um dor nas costas. – Ele terminava suas falas com uma pequena piada. Era possível ver que um ser de aparência peluda começava a se aproximar da carroça e parecia encarar os bovinos que carregavam a carroça. Não era a primeira vez que o homem via aquele tipo de raça em sua vida, tampouco para a celestial que tinha consigo uma colega imaginaria que provavelmente não tinha exemplo melhor. Ele possuia chifres e uma aparência um pouco mais sombria em relação a outras pessoas que estavam entrando na carroça, não tinha a mesma aura de uma pessoa normal.

Ele subia na carroça e via alguns civis que pareciam o encarar por um momento, mas logo voltavam a olhar para o teto ou o chão, evitando contato visual direto. Ele sentava-se em um local apropriado esperando para que a carroça tivesse finalmente inicio a sua jornada e logo ela assim começava. Os bovinos provavelmente eram forte o suficiente para carregar todas aquelas pessoas sem muito esforço, visto que mantinham uma velocidade rápida o suficiente para não demonstrar qualquer tipo de estarem carregando qualquer peso. O condutor uma hora ou outra com um chicote açoitava os animais para que fossem mais rápidos ou irem mais vagarosamente.

Saindo da cidade se encontravam em uma estrada que basicamente era feita do mesmo material encontrado no solo da cidade de Terrascura. Era coberto por neve, mas parecia ter sua maior parte raspada para que o caminho estivesse disponível para que o transporte conseguisse realizar seu trajeto. Tanto a sua esquerda como direita era um ambiente completamente inundado por arvores. Arvores de copas altas que tinham uma aparência de serem infinitas. Quanto mais eles andavam por aquele caminho, mais arvores apareciam e começavam a ter um aspecto de estarem andando em círculos. Algumas pessoas que estavam no transporte começavam a dormir, outras simplesmente ficavam olhando pelas pequenas aberturas, que não poderiam ser chamadas de janelas, na estrutura da carroça e ficavam observando o caminho por onde estavam andando. Aquilo se mantinha por algum tempo, poderia ser até um pouco tedioso para quem estivesse lá, mas logo aquilo iria parar. Como se tivesse se chocado contra uma parede, ambos os bovinos paravam de uma vez, fazendo com que todos que estivessem dentro da carroça fossem jogados um pouco para frente com a física agindo do jeito que ela sabia fazer melhor, porem Klein continuava sentado em seu lugar sem mover nem um centímetro – Então eles realmente apareceram... – Ele suspirava após falar aquilo.

Caso as pessoas que estivessem na carroça saíssem da mesma para ver o que estava acontecendo, notariam que existia uma única pessoa, em frente a carroça que impedia a passagem da mesma. Ele tinha uma pele branca como a neve, utilizava vestimentas feitas por couro de animal selvagem e carregava consigo uma lança feita de ossos. Olhando para trás era possível ver que mais dois deles pareciam surgir por entre as arvores e começar a cercar a carroça. Pelo jeito, a viagem a Santoria teria que esperar um pouco mais antes de chegarem a seu destino.

Cidade de Santoria – 13:00

- Groomer... – O homem analisava a resposta do gigante enquanto olhava o mesmo dos pés a cabeça. Não era lá muito difícil, visto que apenas olhando para frente teria dificuldade em não olhar para aquele monte de massa que estava lá. – Mora aqui? Bem... isso eu não posso dizer que tenho conhecimento, mas com certeza não tem origem nessas terras. Por caso Herald sabe sobre você? – Ele parecia desconfiado sobre a origem do gigante. Ele não parecia ser o tipo de pessoa que parecia muito confiável, tampouco parecia ter qualquer aparência simplesmente civil. Tanto o tom de suas palavras como suas expressões corporais demonstravam que ele parecia ser uma pessoa de poder naquele ambiente, mesmo que não soubesse muita coisa sobre o gigante. – Comida... sim, tem. Mas não acho que terá tanto tempo assim para comer. Mas se tudo estiver certo... quem sabe não mate uma fome de gigante? Hahahahaha – Ele gargalhava enquanto balançava sua cabeça enquanto caminhava por passos lentos pela cidade esperando que o gigante o acompanhasse.

Sem perder muito tempo logo eles chegavam ao que parecia ser um campo de treinamento. Existiam diversas pessoas que batiam em bonecos de pano com espadas de madeiras e coisas do gênero. – Ei por acaso você viu Klein? Ele que deveria estar cuidando dessas coisas... – Com uma expressão brincalhona ele falava com outro homem que tinha uma vestimenta igual a dele que simplesmente respondia balançando sua cabeça em um tom de negação. – Se é assim... – Ele virava-se novamente para o gigante. – Aqui é onde fica o centro de treinamento para nós, se mora aqui sabe quem somos. – Ele falava com um tom debochado sobre a organização para qual ele fazia parte. Eles faziam parte dos Crusaders, uma organização filiada a igreja que literalmente fazia a parte do poder de controlar as coisas em toda a ilha, regulamentadores de tudo que existia no local. Eles com certeza tinham grande influencia, apesar de não serem tão conhecidos como os clãs de caçadores como os Copas eram naquele ambiente. – Não é como se eu não confiasse em você... mas ultimamente temos relatos sobre um gigante causando confusão e bem... não é como se todo dia eu visse alguém do seu tamanho por ai. – Ele nesse momento começava a encarar Groomer nos olhos com uma expressão seria, mesmo que estivesse com um sorriso no rosto. – Você sabe algo sobre isso? É bom que seja honesto, ou teremos mais problemas. – Ouvindo aquelas palavras o homem com quem ele tinha conversado antes ajeitava os óculos e começava a também observar a dupla que conversava naquele campo aberto coberto de neve.



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ficha l Aventura
Voltar ao Topo Ir em baixo
Revescream
Civil
Civil
Revescream

Créditos : 4
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 09/10/2019
Localização : Desconhecida

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptySex 24 Abr 2020, 00:16


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
FÍSICA SELVAGEM
Post - 12º

Ignorando os olhares indesejados, Ryuzaki sentava-se ao fundo da carroça e pegava seus livros, que antes conseguira encontrar na oficina, para identificar quais assuntos os mesmos guardavam consigo. Eram três ao todo, cada um sendo respectivamente: Carpintaria, Física e Forja. Não era nenhuma surpresa para o caprino, longe disso, mas também não era algo ruim. Seu velho havia feito maravilhas usufruindo desses conhecimentos quando em vida, construía seu próprio "tabuleiro eficiente" para qualquer "partida" que precisasse, poderiam ser bastante úteis pela sua versatilidade, como o próprio velho vivia dizendo. A profissão de ferreiro era bem interessante aos olhos do Mink, desde pequeno observava tal trabalho sendo executado pelas mãos experientes, consequentemente adquirindo outros conhecimentos da mesma área. Seria essa mais uma forma de homenagear seu falecido pai? Provavelmente não, pois assim teria seguido com seu legado e cuidado da oficina nesse meio período. Entretanto, ele nunca tinha dito para Ryuzaki tomar conta do estabelecimento, também depositava seu último sonho em Loster e este não continha metal ou graça envolvidos.

"Acho que posso aprender sem ter peso na consciência, afinal." Concluindo sua análise, Ryuzaki guardava os livros de Carpintaria e Forja novamente no casaco deixando apenas o livro de Física em mãos. Assim começava sua leitura, aproveitando do tempo da viagem para aprender sobre os conceitos de física e tudo que ela abrange. "Física (do grego antigo: φύσις physis "natureza") é a ciência que estuda a natureza e seus fenômenos em seus aspectos mais gerais." Fazendo sua leitura mentalmente, seguia aprofundando-se ao poucos pelo conteúdo, embora estivesse ainda no começo sua curiosidade logo o fazia ficar mais interessado pelo assunto. "É considerada a ciência fundamental, sinônimo de ciência natural: as ciências naturais, como a química e a biologia, têm raízes na física. Sua presença no cotidiano é muito ampla, sendo praticamente impossível uma completíssima descrição dos fenômenos físicos em nossa volta..." Continuava com seu aprendizado, deixando o tempo a sua volta passar despreocupado...

A viagem seguia em seu fluxo programado, sem interrupções ou imprevistos até então, se fazia algum tempo desde o começo do percurso para o momento atual. Ryuzaki terminava suas últimas páginas do livro de física. "Interessante... as físicas do mundo enquadram-se totalmente com as perspectivas do xadrez, não me admira a vida ser um xadrez em miniatura!" Estava impressionado, dúvidas e questionamentos que tinha no passado eram solucionados e resolvidos com a explicação do presente, fechando seu livro após termina-lo com um semblante de satisfação. "Nunca duvidei de que meu velho tivera sido um homem sábio, mas agora, consigo compreender mais a extensão dessa sabedoria." Batia sua destra contra seu peito, em sinal de orgulho próprio, mas que acertava erroneamente um dos outros livros havia guardado. "Ahh... quais aspectos esses livros poderão me proporcionar? Se for equivalente ao que esse primeiro rendeu..." Novamente sua curiosidade por conhecimento parecia não ter fim, estava prestes a pegar o próximo livro quando...

A carroça parava de maneira brusca e repentina, destabilizando a postura do caprino e fazendo-o quase cair para frente com o choque. - Mas que diabos está acontecendo agora? Se for outra turma de pagode eu juro que mato dessa vez! - Falaria em baixo tom para si mesmo, evitando que outras pessoas próximas ouvissem seu comentário. A alegria que estreava em seu rosto parecia ter nunca existido em sua face, sendo trocada bruscamente por uma fachada de raiva oculta. Observaria a movimentação dos outros indivíduos a fim de entender sobre a situação. "Onde nós estamos? Será que chegamos em Santoria?" Olharia pelas pequenas aberturas espalhadas pelo transporte, priorizando as mais próximas e que estivessem sem pessoas ocupado espaço, tentando enxergar o que viesse a existir pelo lado de fora.

Percebendo, ou não, a presença dos selvagens Ryuzaki não se contentaria em continuar esperando na carroça sem saber com exatidão sobre tudo que se passava ali. Sendo cauteloso em seu movimento, o atirador seguiria em direção a saída do veículo, mas não se retiraria completamente, buscando sempre proteger seu corpo com um impulso contrário caso fosse necessário. Olharia para o selvagem que ficava em frente a carroça, também observando a locomoção e as atitudes dos outros indivíduos além dos selvagens posteriores. Caso demorasse de alguém protestar contra aqueles loucos da floresta, não restaria outra opção a não ser o próprio Mink indagar primeiro. - Você! Você da lança! O que você pretende com essa baderna?!! - Falaria alto o suficiente para que todos pudessem ouvir, embora a questão fosse dirigida somente para o que parecia "líder" dos selvagens, estaria incentivando para que o mesmo também respondesse a altura de modo que todos escutassem suas palavras.

« HP: 44/44 | SP: 62/62 | Berries: 20.000 | Lv1/XP: 10/25 »


Legenda:
 
Personagem:
 
Objetivos:
 

Considerações:
 



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ripper
Membro
Membro
Ripper

Créditos : 3
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 14/01/2018

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptySex 24 Abr 2020, 15:45


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Ser um... pirata?
Post - 12





Enquanto nos mantínhamos firmes em nosso caminho, pude observar a paisagem mudando aos poucos. Lentamente, era possível sentir a temperatura aumentando ligeiramente, talvez chegando a uma temperatura que nunca antes havia presenciado. Meus olhos encheram-se, como os rios em que botei o olhar, aquilo me remetia algumas das histórias que tanto escutei antes que o sono me abraçasse. A água possuía vontade própria, sem nenhuma aparente intervenção, os pássaros voavam em volta de mim, como se perturbados pela minha presença que, arrogantemente, incomodava seu local de repouso.
Emaranhado em minha mente junto a vista, as palavras do pequeno me chamavam a atenção.
Procurado?! HAHAHAHAHAHA! Digas-me, sabes a recompensa de teu pai, pequeno? — dizia, lembrando o que tal coisa significava no Norte — No Norte aqueles que voltam para a nossa terra, sempre trazem histórias e... seus cartazes de procurados! HAHAHAHA! És um tremendo orgulho possuir uma enorme recompensa ao voltar para minhas terras, minha mãe, por exemplo, vale mais de quinhentos milhões! HAHAHAHAHAH! — terminava, enquanto esmagava alguns galhos no caminho de meus pés.
Pensando no que era dito, eu parecia saber o que dizer:
— Eu ainda sei pouco sobre esta vida Stuart — dizia, coçando a barba — porém, ninguém te obrigas a virar pirata. Quando aceitas, escolhe correr-te risco de vida até o fim em trocar de viver uma vida livre de outras correntes. — dessa vez era uma risada mais tímida, de canto de boca, que se mostrava fugir de meu rosto — O que verdadeiramente sei, meu amigo, é que o passado de teu pai não descreves tu ou teu irmão. Teu pai viveu a vida como desejou e tu não deves deixar que nada e ninguém te impeça de fazer o mesmo, se não devemos viver para buscar o que quisermos, para que, então, viver? — olhando para meu guia, eu deixava o silencia tomar o fim de minhas palavras — HAHAHAHAHA! — mas não por muito tempo.

Por fim, a movimentação vindo do norte em alta velocidade em direção ao leste, chamava minha atenção.
— O que achas que aquela movimentação a frente busca em tamanha velocidade? Parecem com pressa, como se caçassem algo, seriam os selvagens? — esperava que os sentidos mais treinados de meu companheiro também tivessem notado toda a movimentação — Eu gostaria de observar mais de perto, pequeno. — terminaria, tendendo a seguir na direção das passadas calmas, que pareciam ser o destino das sombras.








Objetivos:
 

Dados do Marte:
 






____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ficha no banner
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 53
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptySex 24 Abr 2020, 19:46

Participação do jogador Alencar cancelada a pedido do mesmo.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ficha | Aventura

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: Regras | Mudanças Importantes | Crie seu Personagem | Mini-Aventuras
Voltar ao Topo Ir em baixo
Faktor
Civil
Civil
Faktor

Créditos : 10
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 04/01/2019

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptySab 25 Abr 2020, 00:16


Capítulo I - Surgem os Eternos
Groomer #03

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.] ~ Este homem esta interessado em mim? Será que eu fiz algo de errado..? Não lembro de ter roubado comida de ninguém... ~ Minha dúvida perante a curiosidade do homem sobre mim, ficava de lado quando ele me perguntava se eu conhecia um tal de... "Herald". - Herald... Nunca ouvi esse... É alguém importante? Um outro gigante? - A pessoa de quem o homem falava era desconhecida por mim no momento, mesmo com meu tempo na ilha, nunca ouvira falar nesse nome, talvez seja um lugar? Porém, minha atenção é centralizada assim que ele fala sobre comida, se tinha comida, deveria ser boa, muito boa! ~ Esse cara é legal, vai até me dar comida. ~

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]A caminhada até o local destino não foi longa, e assim que chegamos, pude observar que o local parecia um centro de treino, pessoas batendo em bonecos de pano... certamente estariam treinando para melhorar sua habilidades. ~ Será que eu deveria melhorar minhas habilidades..? Eu não gosto de brigas, porém, nunca se sabe quando vou precisar me defender. ~ Mas bem, depois de homem cuidar (ou não) de seus assuntos, se virava para mim novamente, concretizando a minha ideia, deste lugar ser um centro de treino. - Um centro de treinos, parece uma ideia legal, mas só de pensar em treinar... - Falava botando meu dedo indicador direito em minha boca. - Me da uma fome... Vou poder comer? - Minhas expectativas ali eram quebradas, assim que ouvisse as próximas falas do homem, ele parecia estar desconfiado de mim ter causado problemas na cidade? ~ Será que eu ronco muito alto quando durmo? Talvez tenha pisado em algum brinquedo de criança... Ser grande não é tão legal... ~

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]- Ehh, que tipo de confusão você está falando? Eu incomodei alguém dormindo? Fiz muito barulho? Eu, prometo que não foi por querer... Não quero ter problemas... Só estava procurando por comida. - Parecia que ele estava falando bem sério agora, mas ele não falou o que esse Gigante andou causando... Eu não vi nenhum gigante ultimamente, será que iria ajudar? - Não sei se irá ajudar, porém ultimamente, não vi nenhum Gigante por onde andei. -





Extra



Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________

Capítulo I - Surgem os Eternos!

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
yaTTo
Soldado
Soldado
yaTTo

Créditos : Zero
Warn : Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 22

Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 EmptyQua 29 Abr 2020, 03:08

Capítulo I - Surgem os Eternos!
Dia de inverno
Malkiham - Clima Frio


Florestas de Malkiham e Estrada – 13:30

O mink aproveitava o tempo na carroça para conseguir algum conhecimento. Ele lia alguns livros e por isso ficava introvertido em seu pequeno mundinho por algum tempo até finalmente a carroça parar devido a interferência dos selvagens. Ele tentava se comunicar com um dos mesmos, mas tudo que recebia era algum barulho que eles faziam de suas bocas que se assemelhava a alguma linguagem desconhecida para o mesmo e por isso eles simplesmente ignoravam as palavras do caprino. O Lider ficava girando sua lança em seu braço, ele tinha grande maestria com aquilo e parecia cada vez mais inclinado a uma posição mais agressiva, apesar de não aparentar ser uma pessoa lá muito forte corporeamente. O clima frio do local deixava toda aquela população ainda mais tensa, visto que simples civis não podiam ignorar o fato de estarem cercados por pessoas que nem mesmo falavam sua mesma língua, eles estavam preocupados. Quanto mais tempo passava, mais os selvagens começavam a surgir por entre as arvores e começar a cercar a carroça. O homem de vestes negras que aparentava ser um religioso devido suas vestes finalmente saía da carroça com um simples salto. – Então eles realmente vieram... – Ele puxava um pouco da fumaça de seu cigarro, enchia seus pulmões com aquele ar negro e logo expelia de sua boca vagarosamente enquanto encarava o selvagem que o caprino achava ser algum tipo de lider. – Eles provavelmente não irão o entender garoto... – Ele falava para o atirador enquanto assumia a frente em direção ao homem da lança – Para sua segurança eu aconselho a ficar dentro da carroça, deixe que os profissionais lidem com isso. – Ele continuava a andar em direção ao selvagem que também parecia encarar o religioso. As palavras do homem eram firmes e tinham um peso maior do que ele tinha ouvido até o momento, tinha certo tom de autoridade, apesar de não ser algo militar ou coisa do gênero.

- Selvagem, sei que não me entende, mas pelo poder dado a mim por Heartstone, terei que leva-lo em custodia. – Ele terminava de falar aquilo enquanto jogava o cigarro ao chão e com seu pé direito o esmagava contra a névoa o esmagando para apagar sua pequena chama. – Então ele realmente é um deles. – As pessoas dentro da carroça começavam a conversar entre si sobre a origem e a organização que fazia parte tal homem. A realidade é que mesmo que estivesse ele assumindo a frente naquela luta as pessoas ainda pareciam um pouco preocupadas, um homem contra um grupo de corpulentos selvagens não demonstrava muita confiança.

O gigante notava a grande movimentação das sombras mais ao longe, aquilo intrigava o mesmo. Ele adiantava-se a seguir em direção ao local para onde eles estavam indo, a mesma direção. – Recompensa... não sei, apenas sei que ele não era apenas um civil. – Stuart respondia as perguntas de Marte enquanto tentava o acompanhar por entre as arvores. – Acho que são os selvagens, temos realmente que ir em direção a eles? Não podemos simplesmente ir por outro lado e evitar isso? – O garoto reclamava um pouco da decisão do gigante, mas não era como se ele fosse capaz de impor suas vontades. – Acho que eles estão indo em direção a aquela carroça... – Stuart subia em um tronco de madeira que parecia mais firme e observava de um ângulo superior, algo que o gigante não precisava exercer, pois sua altura elevada já lhe dava o ângulo necessário para ele ver o que estava acontecendo. De longe ele conseguia ver uma aglomeração de pessoas envolta de uma carroça e sombras que pela floresta seguiam em direção a carroça rapidamente.

Caso ele desejasse seguir tais sombras veria que de onde ele estava para o ponto futuro onde eles estariam era uma grande descida. Eles estavam em uma altura mais elevada do que parecia ser uma montanha que era rodeada de arvores e neve. A descida poderia ser constituida de muita neve e algumas arvores com copas altas, não seria dificil descer, porem caso tentasse descer sem causar muito rebuliço seria necessario um pouco mais de calma, ou, se causar confusão não fosse um problema seria muito mais facil, afinal, descer arrastando consigo um monte de troncos chamaria muita atenção. Quanto mais ele descia conseguiria ter uma visão mais clara do que estava acontecendo. Um homem de vestimentas negras estava frente a frente com o que parecia ser realmente um selvagem. Mais ao fundo mais selvagens pareciam cercar o caminho de volta da carroça. Os cavalos relinchavam e ele poderia escutar isso um pouco mais ao longe. – Bem... teriamos que descer de qualquer jeito mais a frente. – Stuart falaria caso a decisão de descer daquele local fosse realmente tomada.

- Incomodou alguém dormindo? Não... esse não foi o problema... – O homem olhava o gigante mais uma vez procurando encontrar qualquer coisa que indicasse que ele estava mentindo, mas o que encontrava era simplesmente a ingenuidade de um homem apenas muito grande. Caso fosse de tamanho normal provavelmente ele teria a impressão de que era apenas uma criança crescida, porem essa tinha crescido até demais. – Não acho que ele esteja mentindo... o que acha? – Ele perguntava para o outro homem que estava logo ao seu lado. Ele apenas balançava a cabeça confirmando as expectativas enquanto continuava a olhar aquele ser de tamanho avantajado. – Pois bem... Deseja comer? Posso lhe arranjar alguma coisa ou outra, mas terei que esperar que alguém venha o ver para o liberar, afinal, mesmo achando que não tem culpa nisso não posso ter certeza. – Ele dava um sorriso enquanto abria uma pequena caixa de madeira, obviamente pequena apenas em relação ao gigante, para o homem era uma caixa quase tão grande quanto seu corpo. – Aqui tem algumas rações destinadas aos recrutas, não acho que eles vão se importar se um gigante comer elas, certo? – Ele falava aquilo praticamente gritando para que toda a turma que estava treinando começasse a olhar para aquele pequeno grupo. Suas caras pareciam completamente desoladas – Eles não comem tem quase um dia, você acredita? Mas fazer o que né, pelo seu tamanho sua fome deve ser muito maior do que a deles! – Ele falava em um tom sarcástico. Era muito fácil dizer que ele pouco se importava para com o gigante, estava mais interessado em fazer com que o grupo de recrutas que estavam treinando sentissem um pouco mais de fome, um verdadeiro implicão.

O homem que parecia conversar com ele apenas balançava sua cabeça de um lado para o outro meio que desapontado com as ações, porem não fazia nada para ajudar. – Espero que saiba o que está fazendo. – Ele falava enquanto encarava ambos por algum tempo.




[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ficha l Aventura
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Capítulo I - Surgem os Eternos!   Capítulo I - Surgem os Eternos! - Página 5 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Capítulo I - Surgem os Eternos!
Voltar ao Topo 
Página 5 de 7Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: North Blue :: Malkiham Island-
Ir para: