One Piece RPG
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Phantom Blood
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor Licia Hoje à(s) 02:53

» Escaping Mean! Run Ria, Run!
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor Milabbh Hoje à(s) 02:29

» [LB] O Florescer de Utopia III
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor Vincent Hoje à(s) 01:08

» As mil espadas - As mil aranhas
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor jonyorlando Hoje à(s) 00:42

» Noskire M. Hughes
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:28

» Yami Sukehiro
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:22

» Yami Sukehiro
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:21

» [Ficha] Kuze Kyoji
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:43

» Vivian Strongwill
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:37

» The One Above All
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor CrowKuro Ontem à(s) 23:18

» II - Growing Bonds
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor Vincent Ontem à(s) 22:41

» Busca Implacável
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 22:07

» Do ferro ao aço
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor Anjodk Ontem à(s) 21:42

» 1º Ato - O Despertar
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor Chaitanya Mahaprabhu Ontem à(s) 21:39

» MINI - Abraço de Urso
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor TheJoker Ontem à(s) 20:34

» ブルーベリーパイ ~ Blueberry Pie
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor Skÿller Ontem à(s) 20:24

» Fanalis B. Ria
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 20:19

» Enuma Elish
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor GM.Furry Ontem à(s) 20:12

» 1º Cap: O começo de uma grande aventura
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor JaponeisLK Ontem à(s) 19:54

» Vamos nos aventurar! Anjinhas me aguardem...
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Emptypor Pippos Ontem à(s) 19:53



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 53
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyTer 21 Maio 2019, 16:16

Relembrando a primeira mensagem :

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido

Aqui ocorrerá a aventura do(a) pirata Aegir Ran Njord. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ficha | Aventura

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: Regras | Mudanças Importantes | Crie seu Personagem | Mini-Aventuras
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Alê
Narrador
Narrador


Data de inscrição : 12/07/2015

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyQua 26 Jun 2019, 23:52



Joias, pertences em geral e mantimentos saudáveis, talvez, era o que havíamos encontrado ali. Julgando rapidamente, a ausência de carne podia ser justificada pela outra utilização das criaturas que antes eram arremessadas a mim. Além disso, conversando com o navegador de minha embarcação, descobríamos um fato estranho, que de estranho era apenas para nós. — Vocês estão vendo motivos para risos? — sério, questionei a todos, esperando que minhas palavras não deixasse o piloto envergonhado ou indignado, ao mesmo tempo, em uma cartada só tentava instaurar o respeito a nós ali mesmo. Ali não importava mais. Os fracos afundavam. Os fortes relutavam. Minha missão continuava e não podia perder tempo ali mesmo.

— Por quê estão com essa cara? Isso é o que acontecem com os traidores. Aqueles que traem seus aliados, seus amigos, sua família, são piores que lixo. Na verdade, são nada. Então não se importem com “nadas” caindo ao mar! — interrompendo brevemente minhas palavras, atentar-me-ia para o brilho que crescia de acordo com que o corpo do gigante queimava. O ódio daqueles homens era tanto que a chama de seus ódios superava a água que caía dos céus. — Olhe para fora! Veem aquele fogo? Uma atitude cruel, certo? Tão cruel quanto sentenciar aqueles homens ao mar, correto? O que veremos daqui pra frente será isso e eu serei o responsável para que vocês não tenham esse fim, mas para isso preciso que vocês façam o mesmo por mim. Aqueles que não tiverem certeza de me salvar quando precisar não precisam continuar comigo. Ao fim de nossa aventura, vocês podem tomar seus destinos, não irei fazer nada. Porém, até lá cabe a mim proteger vocês e farei isso com minha vida, se preciso!

Pronto para partir, o caminho seguido com meus aliados fora calmo o bastante para conseguir perceber o quão dolorido estava meu corpo. Analisando-o, parte a parte, tentava identificar as áreas mais afetadas e que teria de ter cuidado, se possível, em futuros embates ali. — Droga! Por quê sempre escolhem o caminho mais complicado? — retoricamente questionaria ao ver a embarcação do chicoteador zarpando. Por sorte, havia uma pequena embarcação de partida. — Me sigam! Deem cobertura! — respirando fundo, correria em direção aos humanos que pensavam em partir de encontro a embarcação em alto mar. Caso a mesma já estivesse na água, saltaria em direção a mesma, tentando nadar até a pequena embarcação e se possível tentaria levantar a mesma, ou ao menos para-la — Vocês não vão ainda. Tem coisas minha naquela embarcação. Vocês — focaria em meus aliados — Não deixem que eles saiam daqui. Se resistirem ou ignorarem as ordens, façam entender quem está no controle. Entendido? Eu vou dar um oi para nossos recém-conhecidos amigos!

Voltando minhas atenções a embarcação que já estava no mar, mergulharia o bastante para avistar a água ao meu redor, ou tentar ao mesmo, enquanto tomaria destino até o amontoado de madeira que dava origem ao nome de embarcação. Pensando em criaturas selvagens, tentaria notar se havia ou não presença de vida próxima, tentando ver outros peixes, tentando assim manter minha atenção a possíveis ataques. Chegando à embarcação, flexionando meus braços na mesma, tentaria alçar meu corpo acima, escalando a mesma onde chegando na borda, tentaria fazer uma maior força para surpreender quaisquer tentativas de ataque surpresa dos mesmos. — Não se mexam! Não quero mais confusão. Vocês têm coisas minhas e só vim pegar isso. Eu derrotei um colosso, deitar vocês não serão impossíveis, então, fiquem ondem estão e me deixem pegar o que quero que vocês seguem vivos. Não pegarei mantimentos, apenas o que me interessa e é meu de direito. Entendidos? — seriamente questionaria a todos ali.

Se ocorresse tudo ok, vasculharia a embarcação atrás das minhas coisas roubadas, além das joias e tesouro que houvesse ali e que pudesse carregar. Caso contrário, tinha de demonstrar que estava afirmando o que havia falado. No primeiro sinal de revolta, flexionaria minhas pernas de maneira que meu calcanhar me desse a impulsão necessária para que, ao flexionar meu braço direito, conseguisse aplicar um soco no tronco do primeiro humano que visse, tentando arremessa-lo para fora da embarcação. — Mais alguém quer ir contra o meu pedido? — sério, questionaria olhando para todos os presentes. Após pegar o que havia vindo pegar, ou ao menos tentado procurar, saltaria ao mar e partiria de volta a terra firme, de encontro aos meus aliados. — Muito bem! Pode liberá-los! — afirmaria, assentindo que os outros humanos fossem de encontro ao seu aliado — Agora vamos até o Farol. Temos que encontrar alguma bússola que nos leve para longe daqui! — afirmaria — Mantenham-se atentos!

Pronto, seguiria até o farol. Manter-me-ia atento ao caminho para possíveis ataques surpresa ou emboscadas. Para a primeira opção, tentaria proteger minhas partes menos resistentes ao mesmo tempo em que tentaria proteger meus aliados. Já a segunda, tentaria salvar o máximo que pudesse, rasgando o que conseguisse com meus dentes e punhos. Chegando no farol, tentaria encontrar alguma bússola ou alguém presente lá. — Ow! Sabe onde consigo uma bússola que funcione? — questionaria, sério e relutante a primeira criatura pensante que visse.
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 134
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyDom 30 Jun 2019, 01:37


Narração
Tempestade
Localização: Grand Line
Noite

Aegir
Ficando com raiva das risadas, indagou o povo sobre o que acharam engraçado. A resposta vinha rapidamente e assim o tritão sabia que precisava pegar um novo item para navegar na Grand Line. Porém isso já não importava mais, seguindo a vida acabou se deparando com seus novos seguidores que simplesmente achavam ele cruel pelas ordens que ele estava dando. Aegir reagia aproveitando a crueldade que estavam fazendo com o gigante e demonstrou que ele não era diferente dos homens que libertou. A maioria dos homens pareceu se convencer, enquanto outros não, mas todos se ajoelharam para aquele meio gigante que agora era o novo líder ali. O tritão conseguia reparar que possuía agora quinze novos seguidores. Quão fortes, quão confiáveis, quais habilidades possuíam, nada disso importava realmente no momento, poderia ficar para o futuro.

No momento o importante era achar seu ticket e por isso partiu na direção dos dois barcos que haviam na costa. Ao chegar reparou que um barco já estava de partida, reclamando da dificuldade que geraram de forma inútil partiu na direção do próprio barco. Lá mandou todos eles pararem que aquele era o barco dele e poderia ter coisas lá que desejava. Todos os homens simplesmente concordaram com a cabeça, aquele era seu salvador, não tinha porque discutir muito com ele. Eles pararam e aceitaram enquanto Aegir já se focava no seu real objetivo.

Pulando na água do mar para partir na direção do navio que já estava navegando. Aos poucos sentia a correnteza forte, já estava acostumado com ela, porém seu corpo estava mais cansado do que antes e com várias dores. A cada metro que se aproximava do navio percebia que o mar ia ficando mais e mais violento, não havia outras criaturas por perto, mas sentia algo como intenção assassina por toda a água. Pulou no convés da embarcação e logo berrou ordens de ser o salvador e que queria alguns itens daquele navio.

Quando pousou na madeira a reação imediata de todos foi a mesma, um leve susto e até mesmo se preparam para a batalha. Relaxaram um pouco quando notaram quem era e ainda mais após as falas deste. Só que o relaxamento durou pouco tempo, Aegir aos poucos se guiava para a direção de descer e ver o interior da embarcação, mas reparou que o céu ficou mais escuro e que havia parado de chover. Uma criatura gigantesca havia aparecido e tampava o barco com a boca bem aberta. O tritão reconhecia a criatura que tentou engolir ele antes. E todos os homens gritaram ao mesmo tempo. - É A DEVORADORA DE JAVALIS! - O monstro que mais parecia uma cobra gigantesca começava a descer a boca na direção do navio.


Ferimentos:
 

NPCs:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alê
Narrador
Narrador
Alê

Créditos : 2
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 21
Localização : Farol - Grand Line

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyTer 09 Jul 2019, 11:18

— Puta merda! — boquiaberto, reagi ao ver aquele gigantesco ser vindo em nossa direção. A sedenta vontade de abocanhar aquela embarcação era clara, porém, não tinha tempo para ficar parado, esperando o pior. Olhando aos meus arredores o mais rápido que pudera naquele momento, tentaria localizar com minha visão alguma lâmina, a maior que pudesse manusear, porém, não encontrando, tentaria solicitar o quanto antes para aqueles humanos que possivelmente não resistiriam. — Rápido! Deem-me uma espada! — olhando para os humanos, esperaria que os mesmos me dessem a arma, é claro que pediria caso não conseguisse pegar uma por mim mesmo.

Com a arma em mãos, ou até não estando, não tinha tempo para pensar. — Você novamente! Criatura do fundo do mar, eu não sou seu inimigo, mas não irei recusar o desafio! — buscando esquivar-me da boca daquela criatura, buscaria usar algum apoio como base para então saltar na direção do bichão. Estando com a lâmina, a usaria para segurar-me em seu dorso, cravando a lâmina que havia conseguido. Se não, tentaria usar minha arcada dentária para prender-me no corpo da serpente marinha.

Conseguindo estar no corpo da criatura, tentaria aproveitar-me que o foco da mesma era atacar a embarcação e usaria isso para poder escalar aquele dorso de maneira que flexionando meus membros, tentaria chegar o mais rápido aos olhos da mesma. Cravando as lâminas ou o que fosse, parte a parte, tentaria causar pequenos danos até conseguir chegar onde pretendia. — Você foi julgado, criatura agressiva! Sua sentença e viver na mais profunda escuridão por toda a sua vida! — ofegante, bradaria ao direcionar-me até seus olhos, onde lá, seria meu alvo final. Com a lâmina em mãos, tentaria golpear seu olho mais próximo, coisa que faria escando até com minha arcada dentária ou com os punhos livres. Posteriormente, tentaria atingir o outro olho da mesma maneira.

A todo o momento, poderia ser arremessado longe, por isso tentaria agarrar-me ao seu corpo com as lâminas que detinha comigo mesmo, até mesmo com minhas cartilagens. Minha preocupação era ser arremessado lateralmente ou frontalmente, porém, caso notasse que seria arremessado acima, estaria menos preocupado. Sendo lançado ao alto, tentaria rotacionar meu corpo de maneira que usando minha lâmina, usasse um corte poderoso utilizando minha força, flexão dos meus braços ao segurar a arma, meu peso e a altura arremessada. Meu foco seria em sua cabeça. Da mesma maneira que golpearia estando sem lâminas e apenas com minha manopla. — Morra! — bradaria mergulhado em total adrenalina e sede de sangue.

Se em algum momento eu fosse engolido ou achasse que fosse, tentaria usar uma lâmina, caso tivesse ou então tentaria quebrar um dos dentes da criatura e então usaria o mesmo para ferir o interior de seu corpo. Golpearia incessantemente até ser lançado para fora ou então encerrasse aquela luta do interior do corpo da estranha predadora.

— Onde estão as minhas coisas... — ofegante e pausando minhas palavras, questionaria os presentes após deter a criatura, caso tivesse conseguido. Pegando tudo que era meu e até o que não era, partiria novamente para onde havia partido. Cansado e dolorido certamente estaria, mas tentaria ir num ritmo mais lento até a praia. A embarcação estando destruída tentaria buscar, dentro das minhas limitações, os tesouros da embarcação, assim como o que me interessava.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Ficha | Aventura


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 134
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyQua 10 Jul 2019, 17:35


Narração
Tempestade
Localização: Grand Line
Noite

Aegir
Apesar da criatura já estar descendo na direção do navio Aegir pedia para os humanos uma espada, já que não estava próximo o suficiente para pegar uma por conta própria. Um homem jogou a espada que era amparada pelo tritão no mesmo instante que a criatura fechava sua boca em volta dele e quebrava um pedaço do convés junto.

Engolido Aegir precisava pensar rápido e assim começou a ferir a boca da criatura por dentro com a lâmina que portava. Aos poucos o animal começava a ser incomodado com os diversos cortes na boca, o tritão porém não conseguia realizar um dano muito alto já que o monstro não parava de mover enlouquecidamente. Quando deu por si se viu livre, quase que cuspido ou vomitado para fora, caindo no que restava do convés e rolando por um instante.

Com as armas em mão se levantou e desafiando a besta correu na direção desta. Pulando do navio no corpo dela fincou a espada em seu corpo, mas percebeu que isso não bastaria por ela se mover demais e, por isso, mordeu com seus poderosos dentes para se manter preso ao corpo da criatura. Apesar de incomodada com Aegir, a criatura continuava a se balançar como nunca para todos os lados querendo que ele soltasse e tentava acertar o navio mais uma vez.

Cuidadoso começava a subir se agarrando o máximo que podia para não ser jogado longe pela criatura. Seu objetivo eram os olhos da criatura, simples assim e, por isso, seu peso apesar de alto não era o principal alvo da devoradora de javalis e por isso ela partia em direção ao navio novamente. Aegir chegou aos olhos dela quando a besta atingia o convés pela segunda vez. Ao furar os olhos do animal viu que a devoradora reagiu violentamente e assim foi arremessado onde estava, que era no novo furo criado pelo monstro.

Voando por um mero instante se encontrou com a parede interna do barco e se viu numa sala interna do navio. Ali havia vários papéis para todos os lados, roupas, era o quarto de alguém. A criatura cega berrava do lado de fora.


Ferimentos:
 

NPCs:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alê
Narrador
Narrador
Alê

Créditos : 2
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 21
Localização : Farol - Grand Line

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyQui 18 Jul 2019, 12:53




Esta criatura está sendo difícil de derrotar. Tão forte quanto o colosso anterior, essa criatura pode ser igualmente perigosa ou então até mais do que o inimigo que derrotei antes. Mas a questão é onde estou agora... — pensaria rotacionando minha cabeça de maneira que tentasse esgueirar-me da dor sentida por todo o meu corpo e pudesse observar o local onde estava. Tentando analisar tudo como um todo logo notara que as dores eram mais fortes do que imaginava. Tentando locomover meu corpanzil, flexionaria minhas pernas para que ao apoiar meus braços em alguma superfície possível. — Maldição! — ofegante e dolorido me ergueria para começar novamente a peleja com aquela gigantesca criatura. De relance tentaria identificar algum importante naquela saleta, uma vez que não tinha muito tempo para olhar papéis.

Mergulhado em dores, caminharia em direção ao convés. Apoiando meus punhos na porta, forçaria meu corpo para o lado externo. Lá, tentaria identificar o paradeiro da criatura que gladiava com dificuldades. Sendo recebido lá com um ataque de retorno, tentaria cruzar meus braços para absorver o golpe de uma maneira mais favorável. Firmando minha base, ou ao menos tentando, buscaria não ser arremessado muito distante. Se necessário tentaria flexionar minhas pernas em alguma superfície para que mesmo sofrendo os danos, pudesse retornar para a peleja — Pelos Deuses! — urraria entonando minha voz ao máximo, encobrindo-me com o calor da batalha.

Tenho que cuidar dessa criatura titânica o quanto antes. Uma longa batalha será o pior cenário para mim. O cansaço já está consumindo meus músculos. Minha visão está mais turva que o normal. Isso é um mal sinal. Tenho que cuidar do outro olho. Fazendo isso, minha vitória está encaminhada! — em meio aos meus pensamentos, permitia-me alguns instantes analisando a atual conjuntura da batalha. Usando minhas lâminas, novamente elas eram o meio que permitiriam a mim estar preso ao seu corpo, porém, dessa vez tentaria uma abordagem menos direta que a anterior.

Respirando fundo e flexionando meus membros inferiores, partiria em direção a outro local do convés. Tentando esquivar-me se possível dos golpes, tentaria aproveitar que o convés talvez estivesse mais úmido por causa da chuva e deslizaria pelo mesmo buscando atingir maior velocidade. Sendo golpeado nesse momento, tentaria ao máximo sofrer o impacto e, caso possível, minimizá-lo mantendo-me ainda na embarcação nem se fosse preciso usar das lâminas para cravá-las no inimigo.

Conseguindo ter chegado em outro local da embarcação, tentaria avistar o inimigo de outra perspectiva. Nesse instante flexionaria minhas pernas de maneira que lançasse meu corpo em direção ao inimigo. Sacando ativamente o sabre, tentaria cravá-lo no corpo do inimigo novamente, porém, ao invés de rasgar sua pele, usaria a arma como apoio para saltar mais acima. Se preciso, usaria meus punhos para dar um apoio maior. Conseguindo, tentaria levar comigo o sabre. Meu objetivo era chegar o mais próximo de sua cabeça. Unindo meus punhos em um só, saltaria em direção ao local almejado e, usando de um impulso inicial tentaria golpear a região com um golpe de socos unidos. Aplicado tais golpes, tentaria saltar em direção ao convés e comigo, levar a cabeça do bichão. Agarrando-me em seu pescoço, saltaria em direção a embarcação. Era uma situação arriscada, mas buscava aproveitar de uma situação grogue do mesmo. Utilizando meu peso, cravaria meus dedos em sua pele e buscaria derrubá-lo ali. Conseguindo ou não, meu golpe final seria um corte com o sabre onde buscaria cravá-lo na pele da região entre a cabeça e o restante do corpo e rasgaria o local.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Ficha | Aventura


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 134
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptySab 20 Jul 2019, 03:43


Narração
Tempestade
Localização: Grand Line
Noite

Aegir
Caindo no quarto de alguém, Aegir pensava em como estava sendo uma tarefa desafiadora lutar com aquela criatura aquática. Sem tempo para analisar o quarto corretamente, a única coisa que chamava sua atenção era um chicote que havia caído no chão. Poderia pensar nisso depois, quando finalmente finalizasse a besta.

Focado principalmente em seus próprios movimentos inferiores, o tritão estava preparando-se para ser golpeado logo ao chegar no convés. Isso não ocorreu, a criatura estava se mexendo alucinadamente por estar cega. Aproveitando a deixa, Aegir correu para um local do convés, não havia tanta opção com o buraco feito pela própria jogada de seu corpo contra o navio.

Ao chegar na outra região do convés o tritão não perdeu tempo e pulou na direção do rei do mar. Enquanto se aproximava da criatura via a mesma se contorcendo, ela não conseguia ouvir os movimentos dele, não que ele conseguisse ouvir também, o barulho da chuva e do mar eram proeminentes naquele local. Dada a forma que a criatura se movia aleatoriamente, Aegir poderia comemorar ter conseguido cravar a espada e pular na direção da cabeça do monstro como desejava, mesmo que tal movimento fizera a espada quebrar com o torque realizado na lâmina pelo peso do tritão.

Com o impulso dado chegou a cabeça da criatura e acertava socos como desejava. Não sabia se havia sido efetivo em dano, mas foi efetivo para chamar a atenção do animal que virou-se em sua direção por um mísero instante. Isso no entanto só ajudou o tritão a segurar a cabeça do animal que havia parado de se mexer alucinadamente e por isso Aegir e o rei do mar foram caindo na direção do convés. Ao chegar lá o capitão até queria finalizar a besta, mas sua espada havia sido destruída. Todos os humanos que haviam sobrado por ali rapidamente pularam na criatura e começaram a socar, morder, qualquer coisa, porém o tritão percebia que poderia ser jogado para cima se não finalizasse a criatura logo.


NPCs:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alê
Narrador
Narrador
Alê

Créditos : 2
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 21
Localização : Farol - Grand Line

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptySeg 22 Jul 2019, 17:13


O Impacto dos Deuses

Aquele titã era mais difícil de lidar do que imaginava. Vendo a imensidão de poder que aquela criatura dos mares tinha — uma vez que diversas vidas estavam ali, acima do mesmo, tentando derrubá-lo — minha excitação aumentava a cada instante. Para muitos poderia ser estranho estar sofrendo para derrotar um inimigo, todavia apenas excitação preenchia meu interior. — Eu sabia que você valeria a pena, criatura demoníaca! — com um largo sorriso, exalava minha adrenalina naquele momento — Mal se engana se irei desistir e entregar-lhe minha vida. Eu nasci para gladiar! — sedento, afirmei perdurando minha determinação em vencer aquele adversário.

Meu objetivo era algo que mesmo inalcançável para muitos, detinha toda minha esperança e anseio em alcançar os colossos desse mundo. Para muitos o que parecia impossível, para mim era apenas questão de tempo para derrotar aquele inimigo, assim como todos os outros que vieram e que consequentemente viriam a aparecer em rota de colisão com minha ambição. — Vocês! — dando voz a minha fúria interior, bradei para os humanos impertinentes que tentavam “ajudar” — Não me atrapalhem! — urrando para os impertinentes presentes ali, voltaria então a focar em meu adversário.

O destino havia decidido que seríamos apenas eu e ela. Com toda certeza que tinha em mim, em meu destino, eu derrotaria aquela criatura. Determinado, preparar-me-ia para os golpes finais. Naquele ponto, estar cansado seria apenas um estado psicológico. Mesmo que meu corpo estivesse mais lento que de costume, a dor era apenas algo que desgastava meu corpo ao mesmo tempo que fortalecia minha mente e engrandecia meu espírito. — Vamos colocar um fim nessa batalha! Me mostre toda sua força! Aaaaaaaaaaaaaaarhg! — urraria em meio a sequência de golpes que aplicaria logo em seguida.

Colocando minha vida, minha determinação, meu destino, meu maior tesouro, flexionando meus braços encaminharia meus punhos ao iminente choque à cabeça da criatura. Tentando aplicar cada vez mais força em meus golpes, socaria sua cabeça até amassá-lo por completo, me contentando em derrubar de vez aquela criatura. Um após o outro, assim seria minha realidade naquele período de tempo. Tentaria ao máximo não dar brechas para contra-ataques, ao menos tentaria. Tentando acertar todos golpes em uma mesma área, buscaria causar o maior dano concentrado, buscando atravessas a sua densa pele e amassando seu espírito.

Sendo arremessado acima de sua cabeça, tentaria rotacionar eu corpo, ou ao menos encaminhá-lo para que dessa maneira pudesse usar da queda de meu corpo como impulso para golpes mais fortes, na verdade, um em específico. Nesse cenário eu tentaria golpear a criatura em seu focinho caso a mesma tentasse me engolir, como também seria em sua cabeça caso tivesse a oportunidade. Um golpe. Um poderoso e concentrado golpe. Um golpe que além de meu peso, havia meu corpo em queda livre. Esse seria o... — IMPACTO DOS DEUSES! — bradaria ao golpear a criatura de tal maneira. Sendo arremessado lateralmente, tentaria flexionar minhas pernas de maneira que imitando uma bola, por assim dizer, abraçaria meus joelhos, tentando amenizar o impacto em partes soltas.

Conseguindo ou não derrotar o adversário, tentaria ao menos averiguar meu estado e se seria possível permanecer em pé. Olhando para todos os presentes eu me aproximaria da criatura ou ao menos no centro do local, ou o que havia permanecido intacto, e olharia para todos os presentes. — Essa luta acabou. Essa criatura foi julgada e sentenciada por mim, o escolhido dos Deuses a adentrar em seu mundo dominando todos os mares! E derrubando toda forma de governo que se acha superior! Lembrem desse nome: Aegir Ran Njord! — erguendo meu braço, falaria em uma só voz, sério e sedento por mais embates. A fúria estava em meus olhos, assim como uma criatura animalesca com requintes demoníacos. Olhando um a um, enquanto proferia o que tinha em mente, buscaria identificar suas reações. — Aqueles que ainda almejam viajar e velejar por esse mar sem a minha tutela, vão! Aqueles que desejam fazer parte de minha família, me sigam!

Buscando tudo que havia naquela embarcação, primeiramente tentaria encontrar algum lugar que pudesse guardar e levar tudo dentro, sendo que posteriormente iria atrás das coisas, que em prioridade seria o que havia perdido ainda na ilha passada, porém, não deixando nada além disso fora de minha ambição. Os tesouros daquela embarcação seriam meus. Tendo ajuda, indicaria o que cada um levaria, que ao fim seria tudo. — Os tesouros dessa embarcação serão meus! Um preço por salvar suas vidas. Se houver alguém contra isso, se promova agora que resolveremos isso em mais um embate! Acreditem, eu posso fazer isso o dia todo! — enlouquecido, afirmaria, tentando ao máximo intimidar naturalmente todos que estivessem ali.

Os humanos que se aliassem a mim, caso houvesse algum, iriam em um bote, também havendo. Daria uma ajuda empurrando-o enquanto nadaria até a margem. Não havendo, colocaria os humanos em minhas costas, aqueles que pudesse carregar, juntamente com os tesouros e iria até a margem. — Peguem um bote e vão pegar o restante dos tesouros que estão naquela embarcação! — afirmaria para os aliados que estivessem em terra firme. Conseguindo trazer tudo, minha ordem seria voltada a levar os mesmos para a embarcação. — Levem-nos! — sério, afirmaria referindo-me ao lucro obtido. — O que nos falta para zarparmos? — questionaria ao navegador — Há alguma coisa disso aí nesse monte? — questionaria caso faltasse algo, além da possibilidade de estar nos tesouros obtidos.

Estando tudo certo, indicaria a volta a embarcação. Minhas atenções por hora se voltariam à Freir. — Como ficaram as coisas enquanto estive fora? — questionaria — Temos um bom bando agora, não? Estamos formulando um bom pessoal para o futuro! — esboçando o mais próximo de um sorrido, acariciaria a cabeça do meu filho enquanto caminhássemos.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Ficha | Aventura


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 134
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptySeg 22 Jul 2019, 23:58


Narração
Tempestade
Localização: Grand Line
Noite

Aegir
O tritão brandou aos céus que ele que derrotaria a criatura e por isso todos os homens que ali estavam recuaram para que ele fizesse o que desejava. O tritão socou a cabeça da criatura uma vez e outra vez, aos poucos ele ia realmente esmagando o crânio do rei do mar. A besta se debatia com nunca e o peso do tritão em seus socos e corpo eram o que mantinham-a presa ao navio de certa forma. A embarcação claramente sentia aqueles golpes, a criatura subia um pouco seu corpo e logo sentia a força de Aegir empurrando sua cabeça novamente para baixo, com isso, diversos danos iam ocorrendo pela extensão do barco que aquele monstro marinho chocava.

Era difícil determinar o tempo e o esforço que fez até perceber que a criatura não respondia mais e estava morta estirada naquele convés. Quando parou de socar, viu o corpo da criatura aos poucos virando o navio até um ponto e assim afundando-se na água, fazendo o barco voltar com um forte solavanco para a posição correta.

O sol começava a nascer no horizonte e com isso Aegir dava um discurso que fazia todos ali logo se ajoelharem a sua presença, um único homem demorou mais que os demais. Entregaram uma mochila para o meio-gigante e começaram a se organizar para pegar todos os tesouros que ali havia. O barco claramente não tinha mais condições de velejar. Os homens se preparavam para sair daquele lugar, por sorte a tempestade parecia diminuir e dava espaço para uma chuva mais fraca.

Um homem surgiu da sala que seria do chicoteador e Aegir viu o Golden Ticket no mesmo momento, o marujo perguntava se o tritão iria desejar manter aquilo já que não via importância. Já outro homem surgia com dois milhões de berries, não era o melhor dos saques, mas o pirata conseguia alguma coisa.

Falando para pegarem um bote, percebeu que não havia nenhum naquele navio e por isso pulou na água levando somente um homem que se denominara como o capitão daquele ex-grupo. Este homem não falara nada, apesar de Aegir sentir em suas costas durante a viagem até a costa que ele não estava realmente confortável com todos os outros terem ajoelhado tão facilmente.

Aos poucos o sol ia nascendo e quando chegou a costa percebeu que havia acabado a chuva. O seu filho e os demais comemoravam a volta de Aegir, mas este não queria perder tempo. Ordens foram dadas para um grupo ir buscar os tripulantes da embarcação que havia ficado no meio do mar, outra para que levassem seus tesouros para o seu novo navio. Nesse meio tempo perguntou ainda o que faltava para seu navegador. - Temos que pegar o tal Log Pose ainda. - Falou o estranho jovem com a voz animada vendo que o tritão havia partido e voltado bem. Verdade seja dita, a criatura aquática havia sido mais fácil que seu provável mestre fora em terra.

E no caminho para a embarcação levando seus tesouros, ouvia seu filho após ter feito a pergunta. - Não aconteceu nada importante. Só vimos mais e mais piratas chegando. Esse lugar não para. - Falou seu filho até um pouco animado com a perspectiva de ver que seu pai estava bem e que o bando cresceu, isso ajudaria contra os diversos piratas que haviam chegado.


NPCs:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alê
Narrador
Narrador
Alê

Créditos : 2
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 21
Localização : Farol - Grand Line

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyTer 23 Jul 2019, 01:41

O derrubador de Rei dos Mares
A missão ainda não havia se encerrado. Meu cansado corpanzil já clamava por descanso. Os sinais eram os mais suscintos possíveis. Devia estar focado em obter o tal “Log Pose”, como o loiro havia dito, porém, algo me incomodava. Durante a vitória na embarcação destruída, um dos humanos havia se relutado em ajoelhar-se perante a mim. Não que me incomodasse, tal fato era irrelevante por enquanto, entretanto a preocupação de uma possível traição era um sentimento que não podia levar para um grupo que almejava o topo da cadeia. — Garoto, não poderei falar com você por agora, mas tenho uma missão para você. Organize o pessoal, leve com você o navegador e o outro garoto e fale com os mesmos para o ajudar. Quero os tesouros todos na nova embarcação, entendido? — sério, olharia para a minha cria, tentando ao máximo exalar a seriedade do meu pedido que ressoava como uma ordem dada. Acenando positivamente com minha cabeça, confirmava que a ordem havia sido compreendida. — Tenho assuntos a resolver... — pausando minhas passadas, voltar-me-ia para o tal humano que havia relutado anteriormente.

Voltando minhas atenções para o recém-conhecido humano que havia estado na outra embarcação, o qual seu grupo havia se aliado a mim, buscaria conhece-lo e entender os motivos por ter relutado. — Você. Me diga seu nome! — olhando em seus olhos, de cima, como sempre, questionaria sua origem para então iniciar minha conversa — Muito bem. Notei que você... — nesse instante deixaria que o restante do pessoal se afastasse para então poder conversar com humano. Se necessário, tentaria dispersar ou fazer com quê qualquer um que restasse ali partisse, sem proferir palavra alguma.

— Muito bem, agora podemos conversar. Seu grupo se ajoelhou perante mim e isso te incomodou, correto? Isso deve te machucar, ferir seu orgulho ou qualquer problema que seja com você, porém, isso não me interessa. A segurança e saúde do grupo vai além das minhas mágoas, minhas raivas e você, como acredito que seja líder, deve saber disso, ou ao menos deveria. Todos temos sonhos, objetivos e planos, porém, você tem como líder o escolhido pelos Deuses criadores de todo esse mar, então, não encare isso como um roubo, vocês estão sob minha proteção e não vou os escravizar ou coisa assim. Serei um líder e não um chefe. Se isso tudo te incomodou ao ponto de quebrar a estabilidade que se foi criada, eu ofereço a você o posto de oficial do grupo. Todas e qualquer decisão passarão por sua análise, e você poderá dar seu ponto de vista, sua visão sobre a decisão, sendo e cabendo a mim a decisão final. O que acha? Aceita minha proposta? — estendendo minha mão, tentaria apertar o mínimo possível aquela minúscula mão enquanto selava assim minha palavra.

Tendo minha proposta recebido uma aceitação ou o contrário, não poderia titubear e perder tempo ali. A decisão, caso fosse negativa, seria informada a todos durante a comemoração final, essa que só se realizaria caso conseguíssemos zarpar daquele amontoado de terra flutuante na imensidão azul do mar. — Venha! — indicaria pra o homem com que havia conversado há pouco tempo — E você também! Vamos até o farol! — concluiria voltando-me ao navegador, aquele que conhecia o item mágico que precisávamos.

Levando um aliado já declarado e um que ainda estava em fase de escrutínio, seguiria até o Farol. Em caso de ataques, tentaria usar meu corpo como escudo para a proteção de meus aliados. Se preciso os abraçaria para servir de escudo para os mesmos. Não havendo problemas para chegar até o local, tentaria observar o caminho, os arredores e assim como os objetos lá dentro, levando o que pudesse. — Está vendo o tal do “Log Pose”? — questionaria, voltando-me ao navegador — Ótimo! Então podemos retornar para a embarcação. Reúnam e saqueiem o que puderem antes de irmos! — girando meu corpanzil em direção a saída ou retorno, caminharia de volta.

Retornando à embarcação, claro que tomando as precauções cotidianas de proteção a aliados mais frágeis, deixaria Freir o responsável por guardar as coisas que havíamos conseguido até então. — Preparem-se para zarpar. Ergam a âncora. Navegador, comande a embarcação! Vamos partir! — animado e excitado, bradava para que todos pudessem ouvir.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Ficha | Aventura


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 134
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyTer 23 Jul 2019, 14:48


Narração
Céu nebuloso ainda, porém sem chuva
Localização: Grand Line
Amanhecendo

Aegir
O capitão tritão pedia para seu filho comandar a situação do tesouro enquanto cuidaria de outros problemas "menores". Seu filho partiu com alguns homens para o barco enquanto Aegir parou o antigo capitão e o navegador. Primeiro queria conversar com aquele novo subordinado, sabia que o homem não gostara muito de se ajoelhar, quem gostaria? E não possuía raiva do humano por isso, achava algo natural.

Assim, indagou inicialmente o nome daquele homem. - Thomas Condon - Respondeu ele com a voz meio temerosa, imaginando o que aquele enorme tritão faria com ele. Com a resposta, Aegir fez com que seus aliados ali em volta se afastassem, deixando ele e Thomas conversarem com mais calma. O medo era visível, mas isso foi sumindo aos poucos enquanto o tritão fazia seu discurso. Quando acabou, viu o homem engolindo em seco e sorrindo por um instante. - Muito obrigado. - Falou ele esticando a mão para o meio gigante. - Não vou decepcioná-lo.

Com aquilo feito, Aegir, Thomas, Sun e alguns outros que o tritão ainda não havia nem mesmo olhado para cara acabaram se dirigindo na direção do farol que estava vazio. Não foi difícil para ninguém ali indicar o que era o log pose. Algo que lembrava uma bússola. - Cada ilha na Grand Line possuí um campo próprio. - Explicava o homem para Sun e Aegir enquanto se dirigiam para o navio. - Nenhuma bússola funciona na Grand Line por isso, Log Poses geralmente decoram o campo de uma ilha e assim apontam para outra, por algum motivo ultimamente não estão fazendo isso. - Falava o homem mostrando que o Log Pose estava girando como nunca. - A maioria imagina que eles vão voltar ao normal daqui um tempo. - Falava enquanto já subiam no navio, o brigue estava relativamente perto do farol. - Como ele está girando não da para saber qual ilha da grand line iríamos com ele... se partirmos, partiremos a mercê da própria sorte no momento. - Mesmo ouvindo aquilo tudo, Aegir ordenava que o navegador se preparasse para partir. O navio novo estava bem cheio. O destino era desconhecido, até porque a saga não deixará seguir por ele mesmo.

Quantidade aleatória (1,7) :
2


NPCs:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alê
Narrador
Narrador
Alê

Créditos : 2
Warn : Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 21
Localização : Farol - Grand Line

Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 EmptyTer 23 Jul 2019, 21:23

O arrombador de cús
Com aquele objeto tão necessário em mãos, olharia para o mesmo. — Então é disso que precisamos para zarpar? — tentando entender o seu funcionamento após a explicação do navegador, caminhava em direção ao convés. — Quero todos aqui no convés! — bradaria em uma só voz, reunindo todos os que haviam optado por me seguir em um único local. — Antes de partirmos em direção ao nosso futuro, tenho algo a falar. Seja o que aconteceu agora há pouco ou o que vocês fizeram contra mim ou em suas vidas passadas, pouco me importa. A partir de hoje, vocês são parte da minha grande família e os protegerei com minha vida. Se falharem conosco, irei lhes caçar e acabar brutalmente com vocês! — sério, bradaria minhas palavras olhando para cada um.

Caminhando pelo local com o tal “Log Pose” em mãos, pensava comigo mesmo a respeito do futuro que nos encaminharíamos. O quão desconhecido seria ele. — Agora zarparemos, porém, antes disso, temos que dividir nossas funções nessa embarcação para então sobrevivermos mais facilmente. Quero os cozinheiros na cozinha, os médicos em algum dos quartos. Navegadores, em direção ao controle da embarcação, juntamente com os pilotos. Ferreiros e carpinteiros, escolham um local para trabalharem e se reúnam lá. Os demais que tiverem outras funções, podem me comunicar. Agora ergam essa âncora, preparem as velas que zarparemos! — encaminhando-me em direção ao navegador, lhe entregaria o Log Pose para então partirmos.

Deixando tudo pronto com o navegador principal, daria a ele a liberdade de pedir ou ordenar o que fosse necessário para sairmos dali. Por hora, tentaria descansar um pouco, deixando para o recém-promovido responsável — o humano do outro bando — assim como os demais que já estavam velejando conosco a responsabilidade de inspecionarem as coisas na minha ausência para descanso. Procurando por Freir, o pegaria sem falar nada e colocaria em meu ombro. — Enfim podemos ter uma conversa, certo? Filho... — com certo receio de pronunciar tal palavra, ainda estava sem jeito, porém, indo em direção a proa, olharia para o horizonte, ansioso para o que o destino nos presentearia. — Rumo ao topo...! — seguro, afirmaria para o garoto enquanto esperando por cenas futuras velejaria.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Ficha | Aventura


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido   Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido - Página 4 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Frenesi Ep. IV: A Ascensão do Escolhido
Voltar ao Topo 
Página 4 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: North Blue :: Lvneel Kingdom-
Ir para: